Home :: DerniersChangements :: DerniersCommentaires :: ParametresUtilisateur :: Vous êtes 23.20.13.165
Importé depuis l'adresse http://www.cap.eca.usp.br/wawrwt/version/textos/texto04.htm

NetArt? MachinesACommuniquer? GilbertoPrado? JeanLouisBoissier? OlivierAuber

CRONOLOGIA DE EXPERIÊNCIAS ARTÍSTICAS NAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES
Gilbertto Prado



RESUMO

A intenção é de apresentar um resumo cronológico de alguns eventos entre os anos 70 e começo dos anos 90 que utilizaram as telecomunicações e as redes telemáticas para o intercâmbio artístico.


INTRODUÇÃO

Os trabalhos que estão descritos nessa comunicação se inscrevem no eixo das telecomunicações, definida como transmissão eletrônica de informações através de rede de computadores, Slow-Scan TV (televisão de varredora lenta), telefones, satélites ou televisão . Nesse trabalho, escolhemos de nos orientar preferencialmente pelos intercâmbios via fax e modem. No que diz respeito à rede Internet cuja popularidade cresceu sobremaneira com o World Wide Web em meados de 1994, sua utilização por artistas será objeto exclusivo de um outro trabalho. Razão de circunscrevermos o presente resumo cronológico entre os anos 70 e começo dos anos 90.

Este trabalho não tem a intenção de ser uma relação exaustiva dos eventos telemáticos, mas sobretudo um apanhado geral de algumas dessas manifestações, significativas de uma época e de todo um movimento artístico.


CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

Na medida em que valorizava a comunicação, a Arte Postal é o primeiro movimento da historia da arte a ser verdadeiramente transnacional. Esta é a razão de não podermos falar de redes artísticas sem nos referirmos a mail-art. Reunindo artistas de todas as nacionalidades e inclinações ideológicas, "partilhando" um objetivo comum, tratava-se de experimentar novas possibilidades e intercambiar "trabalhos" numa rede livre e paralela ao mercado "oficial" da arte. A mail-art é certamente uma das primeiras manifestações artísticas a tratar com a comunicação em rede, a grande escala. Ela encontra suas origens em movimentos como o Néo-Dada, Fluxus, Novo Realismo e o Gutai. O ano de 1963, data de fundação do "New York Correspondence School of Art" pelo artista Ray Johnson, pode ser considerado como "data de nascimento" da Arte Postal.

A maior diferença entre a Arte Postal e a arte telemática em rede é a eletrônica. As manifestações telemáticas estão relacionadas a uma idéia de tecnologia, de progresso e de futuro: elas apresentam uma visão positiva da tecnologização da sociedade. Vivemos num mundo tecnológico que funciona a grande velocidade e com enormes diferenças sócio-econômicas. Os artistas podem ajudar à explorar o espaço tecnológico e suas contradições.

No inicio dos anos setenta já existia por parte de alguns artistas a vontade e a intenção de utilizar meios e procedimentos instantâneos de comunicação e suportes "imateriais". Não se desejava mais trabalhar com o lento processo de comunicação postal, era preciso fazer depressa e diretamente, passar do assíncrono ao sincrônico. O desejo de instantaneidade, de transmissão em direto, as questões de ubiqüidade e de tempo real já estavam presente nessa época. Uma outra particularidade dos anos 70, segundo Carl Eugene Loeffler, era a característica "instrumental" . Nesse período, se começava a se estabelecer e a se desenvolver as bases de uma relação entre arte e telecomunicações, com artistas que desenvolviam projetos de ordem global. Nesse período, experiências em arte e telecomunicações proliferaram, utilizando satélites, SSTV, redes de computadores pessoais, telefone, fax e outras formas de reprodução e de distribuição utilizando as telecomunicações e a eletrônica.

Um dos primeiros trabalhos artísticos realizados com fax foi o evento N.E. Thing Co., Trans Usi Connection Nscad-Netco, no período de 15 de setembro a 5 de outubro de 1969, onde houve troca de informações via telex, telefone e fax entre o Nova Scotia College of Art and Design e Iain Baxter do N.E. Thing Co . Outra das primeiras utilizações artísticas do fax como meio de transmissão de imagens e de composição à distância, foi o de Stan VanDerBeek?. Em 1970, artista residente do CAVS (Centre for Advanced Visual Studies) no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, no contexto de suas pesquisas enviou durante um período de duas semanas, imagens via fax para o Walker Art Center em Minneapolis. As imagens foram dispostas lado a lado e compuseram o trabalho Panels for the Walls of the World . Podemos também citar o evento Network'70: NetCo? realizado na Fine Arts Gallery da Universidade de Britsh Columbia em Vancouver entre 7 e 24 de outubro de 1970. Se tratou de uma ligação transcontinenal via telex e fax entre galerias e museus situados em Nova York, Los Angeles, Tacoma, Seattle, Halifax, North Vancouver e Vancouver.

Nos anos 70, Sonia Sheridan desenvolveu uma série de experimentações utilizando também o fax, no contexto do seu programa "Sistemas Geradores" no Instituto de Arte de Chicago. Seu eixo de pesquisa no entanto era mais dirigido para a transformação e composição de novas imagens, para a obtenção de novos componentes "plásticos", através da modificação dos dados "sonoros" e "tácteis" do fax e/ou intervenção direta sobre o leitor do sistema.

Em 1969 foi criada uma pequena rede experimental de computadores: ARPAnet pela Advanced Rsearch Projects Agency do Departamento de Defesa dos EUA para permitir o compartilhamento de recursos computacionais como a troca eletrônica de dados e a execucação remota de programas entre pesquisadores em universidades e outras instituições . A Arpanet viria a ser o embrião da rede Internet.

Entretanto, a utilização artística das redes de computadores, começa a ser trabalhada de maneira sistemática somente à partir de 1980. Neste ano, Robert Adrian propôs um evento chamado Artbox - uma rede artística de "correio eletrônico" -, com ajuda da companhia multinacional I.P. Sharp sediada no Canadá . Mais tarde, Artbox, vai se tornar Artex, a pioneira das redes artísticas eletrônicas de acesso internacional, que foi a base de inúmeros projetos de telecomunicação.


BREVE CRONOLOGIA

1977

• Com a intenção de fazer a conexão entre artistas através de meios eletrônicos, Willoughby Sharp, Liza Bear e Keith Sonnier criaram em Nova York, o Send/Receive Satellite Network . O "nó" da rede de artistas em São Francisco foi coordenado por Sharon Grace e Carl Loeffler. Nesse mesmo ano eles produziram 15 horas de transmissão entre as duas cidades . O primeiro trabalho do Send/Receive Satellite Network: «Two-Way Demo» ligou artistas de Nova York e São Francisco, durante três horas, em 11 setembro de 1977. Foi a primeira comunicação bidirecional por satélite entre artistas. As imagens foram transmitidas por redes de televisão de São Francisco e de Nova York. Segundo W. Sharp , transmissões como Two-Way Demo eram eventos muito complexos, muito caros e faltavam pessoas especializadas para coordenar os intercâmbios.
• Também em 1977, Douglas Davis em colaboração com Nam June Paik e Joseph Beuys, realiza na inauguração da Documenta 6, em Kassel na Alemanha, um programa de televisão em direto que foi transmitido via satélite para mais de trinta países. No final, o autor convidava os espectadores a passar através da tela para se juntar aos outros participantes .
• Igualmente em 1977, Kit Galloway e Sherry Rabinowitz apresentaram pela primeira vez uma imagem composta interativamente por satélite: uma performance entre dançarinos das duas Costas dos Estados Unidos (Maryland e California), onde graças a uma mixagem de imagens puderam dançar "juntos", em direto. O projeto Satellite Arts Projets foi feito em colaboração com a agência espacial americana N.A.S.A.


1978

• O slow-scan TV ou televisão de varredura lenta, de uma utilização mais simples e menos cara que os satélites, começava a ser experimentada e utilizada com sucesso. A primeira utilização do sistema de slow-scan TV como meio de interação artistica, data de 29 de julho de 1978. O evento se intitulou Hands across the Bord. O projeto foi organizado por Bill Bartlet, Liza Bear e Willoughby Sharp e ligava as cidades de Nova York, Memphis, São Francisco, Victoria, Vancouver e Toronto.
• O ano de 1978 é muito importante para as transmissões com slow-scan, em razão das experiências de intercâmbio entre Open Space Gallery (Victoria), Center for New Arts Activities (Nova York) e o California College of Arts and Crafts (Oakland), com a participação de Mary Arnold, Bill Bartlett, Susan Corman, Gail Johsnton, Jim Lindsay e Jimmy Starck. Essas transmissões, de alguma maneira serviram como de preliminares para o Sat-Tel-Comp Collaboratory, organizado por Bill Bartlett no Open Space Gallery em Victoria, no Canadá. Houve uma série de transmissões slow-scan, com demonstração de material, documentação, conferências e ateliers acessíveis ao público .


1979

• A partir de 1979, com Interplay: Computer Culture/Interactive Communications com a coordenação de Bill Bartlett, que as redes de comunicação artística começam a atravessar os oceanos em direção da Europa e Austrália. Este evento fazia parte do Computer Culture Exposition, onde um atelier foi criado, utilizando-se a rede IPSA, composto por 22 Centros e indivíduos dispersos, na Europa, Austrália e América do Norte.


1980

• Assinalamos o evento Artists' Use of Telecommunications: Live International Video and Nodio Link, no Museu de Arte Moderna de São Francisco. Um projeto de Art/Com/La Mamelle, Inc., organizado por Bill Bartlett, Sharon Grace e Carl Loeffler. Um projeto com comunicaçoes via slow-scan e ligações por computador entre vários artistas: Hank Bull, Kait Craig e Glen Lewis (Vancouver); John Southworth (Hawaii); Michel Goldeberg (Toquio); Norman White (Toronto); Douglas Davis e Martin Neisenholtz / Lisa Bear e Willoughby Sharp (Nova York); Aldo Tambellini (Cambridge); Mike Powell (Victoria); Robert Adrian, Grita Insan e Kunstlergruppe (Viena) .
• Por meio de ligações por satélites, Kit Galloway e Sherry Rabinowitz fizeram o Hole in Space, um dispositivo com câmeras de vídeo através do qual o público podia se comunicar entre Nova York e Los Angeles .
• Em 1980, sublinhamos a criação por Robert Adrian da ARTBOX, graças a utilização do sistema I.P. Sharp. Esta "caixa postal" eletrônica que mais tarde vai se chamar ARTEX, foi a primeira para os artistas interessados em telecomunicações: ela serviu como veiculo privilegiado de vários projetos e intercâmbios de informações em telecomunicação .
• Em 31 de outubro de 1980, o primeiro contato via fax entre artistas no Brasil, os protagonistas foram Paulo Bruscky em Recife e Roberto Sandoval em São Paulo.
• Este mesmo ano, Roy Ascott realizou seu primeiro projeto de telemática chamado Terminal Consciousness entre a Inglaterra e os Estados Unidos. Se tratou do primeiro projeto de teleconferência utilizando sistema interativo informatizado. Para tal, Ascott utilizou o sistema Notepad da Société Infomédia, que permitia estocar e estruturar a paginação de um texto .


1981

• Telecommunications Performance via Facsimile, entre Tom Klinkowstein no Mazzo Nightclub em Amsterdam e Robert Adrian no Blitz bar, em Viena. Depois do intercâmbio de imagens previsto, o público pode também participar com o envio de textos desenhos e Polaroids. Eles estavam também conectados a rede eletrônica da Artbox .
LexsSor? - (Avant Garde Art Review Magazine), este projeto organizado por Steve s'Soreff consistia na transmissão de pagina por pagina de livros de artistas .
• Kunst-Microkunst-Macrokunst, projeto de comunicação por computador, organizado por Robert Adrian, entre as cidades do Zagreb, de Amsterdam e de Viena .


1982

• Tom Klinkowstein concebeu Levittown, performance de telecomunicação utilizando entre outros meios, slow-scan, fax, vídeo e diapositivos .
• Telesky, o primeiro evento de telecomunicações na Austrália, organizado por Eric Gidney, entre o Paddington Town Hall, em Sidney e o M.I.T., em Cambridge em Massachusetts .
• Entre as primeiras manifestações de ações telemáticas, sublinhamos no âmbito do "Ars Electronica", o projeto The World in 24 Hours organizado por Robert Adrian. A manifestação se desenrolou nos diversos continentes com artistas de 16 cidades: Helmut Mark (Viena); Roy Ascott (Bath); David Garcia (Amsterdam); Thomas Bayrle (Frankfurt); Bruce Breland (Pittsburgh); Derek Dowden (Toronto); Sarah Dickson (Wellflet); Tom Klinkowstein (São Francisco); Hank Bull (Vancouver); Eric Gidney (Sidney); Kazue Kobata (Toquio); John Southworth (Honolulu); Zona (Florença); anônimo (Istambul); Hartmut Geerken (Atenas). As transmissões foram estabelecidas com slow-scan, fax e computador .
• Telefonmusik, Wien-Berlin-Budapest organizado por BLIX (Robert Adrian e Helmut Mark) em Viena, (Rainald Schumacher) em Berlim e Artpool em Budapeste (J. Galantai) .
• Em 1982, em São Paulo: Arte pelo Telefone, projeto artístico em videotexto coordenação e participação de Julio Plaza, com Carmela Gross, Leonora de Barros, Leon Ferrari, Mario Ramiro, Omar Khouri, Paulo Miranda, Paulo Leminsky, Régis Bonvicino e Roberto Sandoval .
• Em 27 e 28 de setembro, a ação artística Wiencouver III, entre Vídeo Inn, em Vancouver, e General Idea em Toronto, utilizando computador (rede I.P. Sharp), slow-scan e fax .
• Este mesmo ano, o projeto de comunicação interativa de Fred Forest, La Bourse de l'Imaginaire, no Centre Georges Pompidou em Paris, utilizando telemática, televisão, rádio e telefone .
• Em 1982, Bernd Kracke realizou Ecoute com tes yeux - regarde com tes oreilles, uma performance com slow-scan entre Boston e São Francisco .
• Em 1982 também foi realizado um intercâmbio de imagens artísticas por slow-scan entre Paris e várias cidades americanas, organizado por Don Foresta por ocasião da Bienal de Paris .


1983

• No Museu de Arte Moderna de Paris, no contexto da exposição Electra - L'électricité e l'électronique dans l'art au XXe siècle, Roy Ascott realizou La Plissure du Texte, um recital coletivo por intermédio de telescriptores. Participantes de diversas origens construíram um texto via IPSA, privilegiando a potencialidade da construção coletiva a uma escala global .
• A vídeo transmissão simultânea interativa Hommes, Images, Machines organizada por Jacques Polieri de Cannes com correspondentes em Toquio e em Nova York .
• Assinalamos também em 31 dezembro de 1983, Good Morning Mr. Orwell , transmissao interativa via satélite entre Nova York -WNET e Paris - FR3, projeto de Nam June Paik, homenagem/referência ao romance 1984 de George Orwell (1949).


1984

• A primeira transmissão via slow-scan por rádio, no Festwachen Kunstfunk Technology Exhibition. pelo Carnegie Mellon Amateur Radio Club - Pittsburgh, Mike Chepponis (grupo DAX) enviou trabalhos de Bruce Breland e Jim Kocher para Viena (Hans Hahn) .
• O projeto Contact, de Natan Karczmar, em Tel-Aviv, utilizando uma rede de vinte e quatro aparelhos telefônicos .
• O Electronic Cafe international (Comunicação Access for Everybody) é uma rede de criação interativa e de comunicação, onde os pontos de acesso são terminais utilizando o vídeo, a informática, as comunicações e as suas fontes. O primeiro protótipo foi criado em 1984 de um projeto homônimo de Kit Galloway e Sherry Rabinowitz. Mais tarde se tornou um espaço permanente em Santa Monica, na California onde eles desenvolveram outras ações e participaram de várias manifestações.
• Neste mesmo ano - 1984 -, pARTiciFAX, intercâmbio de imagens por fax organizado em Toronto por Lisa Sellyeh e Peter Seep, com a participação de 26 países.
• Em 1984, o projeto Vidiotex Art Network (V.A.N.) com o grupo de trabalho da Hochschule für Gestaltung em Offenbach, dirigido por Manfred Eisenbein .
• Maria Grazia Mattei organizou entre 21 de junho e 1 de julho em Pavia, Itália, Telefaxart: Machina/Mémory, projeto de intercâmbio via fax.
• No Museu de Sannio, Benevento, na Itália, aconteceu Labyrinthe , organizado por Marc Denjean, um projeto telemático entre França e Itália .
• Em setembro, em Lyon, na E.L.A.C., Jacques Elie Chabert realiza seu projeto de romance telemático em paginas de tela de videotexto com múltiplas opções: Vertiges, no Minitel .


1985

• Landscaps: Paradise, em Turim, Itália, em maio de 1985: um intercâmbio via fax que solicitava também a participação de crianças; Amico di Telefax, em Turim, junho de 1985, com crianças de Paris, Turim e Viena, organizado por Maria Grazia Mattei.
• Em 1985, Roy Ascott concebeu Organe et Fonction d'Alice au Pays des Merveilles. Se tratava de um videotexto no Minitel, Plissure du texte , fez parte do programa do Art Access, no contexto da exposição Les immatériaux, no Centre Georges Pompidou em Paris.
• Em outubro 1985, na exposição Arte: novos meios/multimeios - Brasil 70/80, São Paulo: * realização do projeto fax: Fac-Similarte de Paulo Bruscky e Roberto Sandoval (proposição de outubro de 1980).* Caricaturas e A arte na Trama Eletrônica, projetos artísticos em videotexto de Rodolfo Cittadino. * Igualmente o projeto Arte Videotexto de Julio Plaza com a participação de Alex Fleming, Alice Ruiz, Augusto de Campos, Carmela Gross, Julio Plaza, Leon Ferrari, Leonora de Barros, M. José Palo, Lucia Santaella, Mônica Costa, Nina Moraes, Omar Khouri, Paulo Leminski e Paulo Miranda .


1986

• Planetary Network and Laboratory Ubiqua, em 1986 na Bienal de Veneza. O Laboratory Ubiqua teve como organizadores Roy Ascott, Don Foresta, Tom Sherman e Tomaso Trini. Maria Grazia Mattei foi a coordenadora das transmissões via fax. O tema do projeto era "Daily News", e mais de uma centena de artistas dos três continentes estabeleceram contatos através de uma imensa rede ligada por videotexto, slow-scan e fax .
• O projeto Bras-de-fer transatlantique, encabeçado por Mario Costa e Derrick de Kerckhove, colocado em funcionamento por Doug Back, Norman White e Carl Hamfeldt: Se tratava de um braço mecânico ativado por computador e modem, que tinha por função o efeito de transmitir a sensação da pressão exercida. Os primeiros testes entre Toronto e Salermo, em maio de 1986, não foram muito satisfatórios. Em compensação, em junho de 1986, o evento se mostrou operacional entre Paris e Toronto.
• Uma outra ação em 1986: o projeto de David Rokeby, que consistia em enviar e receber por telefone, vídeo, computador, MIDI e sintetizador, sensações provenientes dos movimentos de dois dançarinos das duas Costas do Atlântico (Paris/Toronto) .
• Em outubro de 1986, Stéphan Barron organizou La Nuit Internationale de la Télécopie, da cidade de Caen, em ligação com Amiens, Paris, Nova York, Bruxelas e Roma .
• Podemos assinalar também um outro projeto fax: Line of the horizon , de Mit Mitropoulos, que se apresentou como um projeto de arte geopolitica . O projeto consistia na criação de uma rede com 27 nós, onde os participantes enviaram representações de suas respectivas linhas de horizonte, criando assim um horizonte conceitual, a uma escala global. Este projeto foi apresentado na Bienal Mediterrânea de 1986, na Grécia.
• O projeto fax de Toni Calvet Transatlantic Copy-Art/Performance desde KGB de Barcelona - Espanha a Galeria 2 no Soho em Nova York.
• Escritores e artistas gráficos se reuniram para uma noite interativa no projeto Telegraffitirons: Foram realizados intercâmbios por fax entre Roma, Caen, Nova York (Fashion Moda), Amiens, Bruxelas e Paris (Galerie Donguy) .
• Em 14 de outubro, a Sky Art Conference, entre o C.A.V.S. (Center for Advanced Visuel Studies), coordenado por Otto Piene com a E.C.A. (Escola de Comunicações e Artes) da Universidade de São Paulo, coordenado por José Wagner Garcia, com a colaboração de Joe Davis, que contou com a participação de vários artistas americanos e brasileiros. Foi a primeira transmissão com slow-scan no Brasil .


1987

• Em Paris, o projeto por Minitel, Message Interplanétaire, de Jean-Marc Philippe, a operação "Message des hommes à l'univers" (conduzida entre junho de 1986 e janeiro de 1987) .
• No mesmo ano, na Itália, o projeto Videolento 1987, transmissão em rede de slow-scan concebida por Giovanna Colacevich, apresentada em Roma de 27 a 30 de abril.
• Em 20 de junho, na Documenta 8 , Hank Bull produziu também uma teleconferência de Kassel, na Alemanha. Os participantes se encontravam em Banff Centre for the Performing Arts (Banff), Massachusetts College of Arts, The Western Front (Vancouver, British Columbia, Canadá), Carnegie-Mellon University (Pittsburgh) e no Electronic Cafe em Nova York.
•40000, um evento fax concebido por Andreas Raab; Il serponte de Pietra, produzido por Sandro Dernini e Franco Meloni, para celebrar o 100° aniversário da descoberta do eletromagnetismo por Nicolas Tesla, nas redes I.P. Sharp, Bitnet and EARN .
• Ainda em 1987, um projeto de intercâmbio de imagens digitais, denominado Digital Body Exchange, concebido por Roy Ascott em colaboração com Paul Thomas (Perth), Eric Gidney (Sidney), Zelko Wiener (Viena), Robert Pepperell (Londres) e Robert Dunn e Bruce Breland (Pittsburgh).
• Orient-Express: em outubro, durante uma viagem de trem, 25 Polaroids foram feitas a cada hora por Stéphan Barron e enviadas mais tarde por modem, de Budapeste a Paris.


1988

• Intercâmbio de imagens via slow-scan, entre o I.P.A.T. (Instituto de Pesquisas em Arte e Tecnologia) de São Paulo e o DAX (Digital Art Exchange) da Universidade de Carnegie-Mellon, Pittsburgh. O evento Intercities: São Paulo/Pittsburgh. Esse projeto foi coordenado em São Paulo por Artur Matuck, em colaboração com Paulo Laurentiz e em Pittsburgh por Bruce Breland . Entre as participações, o projeto Still Life/ Alive de Carlos Fadon Vicente .
• De 21 de janeiro a 13 de maio, Fred Forest realizou sua ação mediatica A la recherche de Julia Margaret Cameron, na cidade de Toulon, utilizando particularmente a televisão o rádio e o jornal .
• Em 8 de abril, dialogo por fax entre Mario Ramiro em São Paulo e Eduardo Kac no Rio de Janeiro .
• Na Itália, Giovanna Colacevich, concebeu durante o mês de março Videolento 1988 entre Roma, Milão e Ferrara, e, em outubro, o projeto Fax for Pax, na cidade de Cantanzaro.
• Em setembro, um evento coletivo por fax foi apresentado na cidade de Camerino, na Itália com a participação de Roy Ascott, Giovanna Colacevich, Fred Forest e Tom klinkowstein.
• No mês de novembro de 1988 em Ferrara, Itália, um outro projeto fax, denominado Cavallo Telematico, concebido por Gianni Loperfido .
• Por ocasião do 10° aniversário do F.D.M.S. (Francophone Development Management Seminar), que aconteceu na Universidade de Pittsburgh, uma transmissão interativa foi realizada entre o campus da Universidade e os ateliers do grupo DAX na Universidade Carnegie-Mellon. O projeto se chamou Une excursion de l'esprit -un voyage sur la mer telemática: un evenement d'art interactive .
• Em 4 e 5 de novembro, no Centre Culturel Canadien de Paris, coordenado por Derrick de Kerckhove, a videoconferência Les Transinteractifs entre Paris e Toronto. Neste mesmo evento, uma série de manifestações forma realizadas: * Le ruban de 7253 kilomètres entre Paris e Toronto de Fred Forest; * Le toucher Transatlantique de Christian Sevette; *Découvrez o Canadá de Patrick Lee; *Alice de Stéphan Barron; *Échange de Neurones entre Paris e Toronto de Philippe Hélary; *Apartés de Wolfgang Ziemer-Chrobattzek; *La pensée musicale transatlantique de Randy Raine-Reusch; *Champs informatiques de Christian Lavigne; * Transitercaricatures de Natan Karczmar; *Méridiennes de Denise Bertrand; *Corps vibratoire de Bure-Soh; *L'aube de l'ère nouvelle de Doug Hamburgh; *La danse transatlantique de David Rockeby; *Le mandala de Vincent John Vincent; *Satellite Breaks de Muhtadi e Keith Holding e * Toparontoris de Jean-Claude Anglade .


1989

• Em fevereiro o projeto Arte Fax 1, na Escuela de Pintura, Escultura e Grabado "La Esmeralda" - México, organizado por Mauricio Guerreiro, no contexto da exposição Electrosensibilidad com participantes no México - DF, Baltimore/EUA e Copenhagem/Dinamarca.
• Em março, Faxarte I, um intercâmbio entre a E.C.A. (Escola de Comunicações e Artes) da Universidade de São Paulo e o I.A. (Instituto de Artes) da Universidade de Campinas, São Paulo, coordenado por Artur Matuck e Paulo Laurentiz. * Em 6 de junho, os estudantes dessas mesmas universidades participaram do Faxarte II, sob a coordenação de Artur Matuck, Shirley Miki e Gilbertto Prado. Os artistas participantes: Anna Barros, Artur Matuck, Cristiane Aun, Claudia Del Canton, Gilbertto Prado, Laura Martirani, Lucia Fonseca, Marco do Valle, Milton Sogabe, Paulo Laurentiz, Shirley Miki, Rejane Augusto e Regina Silveira.
• Em setembro, no contexto da exposição Ars Electronica, o projeto Aspects of Gaia, concebido e coordenado por Roy Ascott com a colaboração de Peter Appleton, Mathias Fuchs, Robert Pepperell e Miles Visman. Eles criaram nos três continentes uma rede de vários artistas que enviaram imagens digitais, textos e sons, que integraram uma instalação interativa pública .
• Em setembro, a instalação interativa Face-à-Face 4 de Mit Mitropoulos, realizada na Holanda, onde duas pessoas podiam se comunicar interativamente pelo intermédio de monitores de televisão .
• De 7 a 19 de setembro, o projeto fax Lines de Stéphan Barron e Sylvia Hansmann. Eles enviaram imagens e textos via fax ao longo do meridiano de Greenwich (desde Villiers-sur-Mer até Castellon de la Plana) .
• Em Viena, o projeto Térképek - Maps na Hochschule für Angewandte Kunst/Lehrkanzel für Kommunikationstheorie, com o intercâmbio de sons, imagens e textos e a participação de Robert Dunn, Dana Moser, Gabor Kopek, Irene e Christine Hohenbüchler, Stefan Back, Mathias Fuchs entre outros.
• Em 1989, dois projetos Minitel: République, criação de Philippe Helary, em Ajaccio, na Córsega, e Le Réservoir, por Jean Claude Anglade, em Noisiel .
• Em 24 novembro, Natalia Cucieniello realiza o projeto Transmission Point, no Studio Morra, em Nápoles, na Itália.
• I Studio Internacional de Electrografia, organizado por Luiz Monforte, realizado na XX Bienal de São Paulo.
• No final do ano de 1989, por ocasião da exposição L'Europe des Créateurs - Utopies 89, no Grand Palais, em Paris, Philippe Helary e Giovanna Colacevich apresentaram o projeto fax: Écho e Narcissus .
• Igualmente na exposição L'Europe des créateurs, Pierre Comte apresentou seus trabalhos de arte espacial como parte do seu projeto ARSAT Sélénopolis .
• Entre os dias 11 e 15 de dezembro de 1989, as primeiras imagens via fax intercambiadas no projeto City Portraits, concebido por Karen O'Rourke, entre o grupo Art-Réseaux em Paris e outros artistas nas cidades de Dusseldorf, Philadelphia e Campinas .


1990

• Em 28 fevereiro, sublinhamos o projeto de Paulo Laurentiz: L'Oeuvre du Louvre, onde des artistas localizados em Campinas, "invadiram" durante o carnaval, com envios fax, o Museu do Louvre em Paris. Os artistas participantes: Anna Barros, Lucio Kume, Mario Ishikawa, Milton Sogabe, Paulo Laurentiz e Regina Silveira.
• Na Itália, em 10 de março, um evento de intercâmbio de imagens fax: Nave di Luce, em Siena (Palazzo Público Maggazine del Sale) e Florença (Conservatore de Musica), organizado por Marcello Aitiani e Francesco Giomi .
• Para celebrar o Dia da Terra, o grupo DAX, situado na Universidade de Carnegie-Mellon, Pittsburgh, organizou o projeto Earthday 90 Global Telematic Network & Impromptu. Foi estabelecido contatos via slow-scan e fax entre artistas das cidades de Viena, Lisboa, Campinas, São Paulo, Boston, Baltimore, Pittsburgh, Chicago, Vancouver e Los Angeles. Também, por intermédio do Café Eletrônico de Santa Monica, Toquio e Moscou estiveram ligados por videofone. Este evento foi realizado nos dias 21 e 22 de abril 1990. Entre os vários artistas participantes: André Petry, Anna Barros, Artemis Moroni, Artur Matuck, Carlos Bottesi, Carlos Fadon Vicente, DAX Group, Eduardo Kac, Elisabeth Bento, Ernesto Mello, Eunice da Silva, Gilbertto Prado, Hank Bull, Hermes Renato Hildebrand, Irene Faiguenboim, Karen O'Rourke, Mario Ramiro, Milton Sogabe, Paulo Laurentiz e Roy Ascott.
• Em 29 abril, intercâmbio de imagens e exposição do projeto City Portraits concebido por Karen O'Rourke, com imagens realizadas pelo grupo Art-Réseaux (Christophe Le François, Isabelle Millet, Delphine Notteau, Laurence Naud, Karen O'Rourke, Gilbertto Prado, Hélène Spychiger, Michel Suret-Canale, entre outros) e seus correspondentes de nove cidades europeias e americanas, na Galerie Donguy, em Paris.
• Virtual Cultures, organizado por Anna Couey (ArtCom?) e apresentado no Cyberthon - Whole Earth Institute. Se tratava de um tipo de painel virtual assíncrono, onde os interventores de diferentes comunidades podiam dialogar pelo intermédio das redes de computadores WELL e USENET.
• O projeto Biographateria, apresentado na exposição Art Transition'90 (Center for Advanced Visual Studies - M.I.T.) por Tim Anderson e Wendy Plesniak do S.F.C.I. (Studio for Creative Inquiry), Universidade de Carnegie-Mellon, Pittsburgh. Um projeto que descrevia uma base de dados pessoal e biográfica e um simpósio on-line .
• Entrée/Sortie, projeto sonoro e visual, organizado por Mathias Fuchs e Sylvia Eckermann, com a participação da rádio austríaca "Kunstradio" (Heidi Grundman).
• Em junho de 1990, no evento Arts Rencontres Internationales, em Albi, na França, Bure-Soh com seu espaço sonoro interativo, transformou movimentos em sinais sonoros, criando por telefone uma composição interativa entre Colônia, Berlim e Albi .
• Também, em junho de 1990, a exposiçao Fax Arte, com vários participantes, na Faculdade Santa Marcelina, São Paulo.
• Em agosto, a exposição Arte Fax e Heliografia, de Paulo Bruscky e Daniel Santiago, na Galeria do Instituto de Artes - Unicamp, Campinas, São Paulo.
• De 7 a 22 de setembro o Electronic Cafe International, em Santa Monica, California, promoveu uma série de eventos, de performances poéticas, dança, intercâmbios de mensagens, leituras, etc., com videofone, fax, slow-scan, em conexão com várias cidades.
• Em outubro de 1990, durante a exposição Artifices, Art à l'ordinateur: invention, simulation, em Saint-Denis, no contexto de transmissão por rede de imagens numéricas: Le Collectif Transport, "messagerie" de imagens numéricas, coordenado por Liliane Terrier, com a participação de várias escolas de arte e de diferentes autores.
• O grupo Art-Réseaux também realizou em 9 de outubro de 1990, na École d'Arts Plastiques de Rosny-sous Bois, intercâmbios sobre tema Le dessus de la cidade. Entre os artistas presentes: Karen O'Rourke, Christophe Le François, Isabelle Millet, Gilbertto Prado, Jean-Claude Anglade, Delphine Noteau, Laurence Naud, Hélène Spychiger.
• De 19 a 21 de outubro de 1990, no contexto do evento People to People, a ação fax Manufaxtura, coordenada por Jean-Claude Anglade, Patrick Dupuis e outros, em Praga, na Checoslováquia.
• Em 22 de novembro de 1990, ligação por radio e telefone entre Paris e Moscou, performance de Fred Forest: Le sens de l'histoire.
• Entre os dias 10 e 11 de dezembro de 1990, o projeto fax de intercâmbio de imagens entre os cidades de Campinas e Porto Alegre, por André Petry: Poéticas Instantâneas .


1991

• Em 17 de janeiro de 1991, para celebrar o 1000028e anniversaire de l'art , organizado pelo Western Front Vancouver, no Canadá, em comunicação por fax e slow-scan com vários cidades . Em 1992, na mesma data, foi também celebrado mais um aniversário .
• Em 21 de janeiro, Lilian A. Bell realizou Fake/Faxed/Facade : fax /performance/instalação entre os Estados Unidos e San José (Costa Rica) no Centro Cultural Costarricense Norteamericano, no contexto da exposição Piedras de Papel, materiales humanos.
• Nos dias 23 e 24 de março de 1991, o projeto texts, bombs & vídeo tape, organizado pelo grupo DAX em Pittsburgh, com vários correspondentes.
• Em 31 de abril de 1991, o primeiro intercâmbio de Connect, projeto de Gilbertto Prado, em Paris com o grupo Art-Réseaux e Artur Matuck e outros participantes no The Studio for Creative Inquiry da Universidade de Carnegie-Mellon, Pittsburgh.
• Em 1991, o projeto Telesthesia de Artur Matuck, produção de um texto interativo por rede de computador - correio eletrônico -, com apoio do The Studio for Creative Inquiry à Pittsburgh e da Universidade de São Paulo, Brasil .
• A primeira apresentação ao público do Café Électronique de Paris aconteceu na Cité des Sciences e de l'Industrie La Villette, nos dias 25 e 26 de maio de 1991 . Em Paris, sob a organização de Don Foresta e George-Albert Kisfalaudi e equipe, Kit Galloway e outros participantes estabeleceram contatos e intercâmbios de documentos com Sherry Rabinowitz e outros participantes de São Francisco.
• Em junho 1991, conexão de Timothy Leary, em Santa Monica, no Electronic Cafe International com Barcelona, na exposição Art Futura.
• Em 7 de junho de 91, no contexto do II Studio Internacional de Tecnologias de Imagem, organizado por Luiz Monforte, no S.E.S.C. Pompéia/UNESP, em São Paulo, houve envio de fax de diferentes proveniências, de Paris, no Centre Canon: "Bons baisers de Paris" com James Durand, Nathalie Hamard-Wang, Gilbertto Prado e Christophe Le François.
• Em 13 de agosto de 1991, Faxelastico, um projeto de Eduardo Kac, como parte da exposição Luz Elastica no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
• Les plantes de mon jardin de Stéphan Barron: envios cotidianos de imagens des plantas do seu jardim em Hérounville Saint-Clair (França), por fax, para a Galerie Spala de Praga, na Checoslováquia.
• Em setembro de 1991, o projeto Artefax: Graphies d'Europe de Vincent Vasseur, no Centre d'Expositions e Congrès d'Amiens, na França.
• Em outubro de 1991, a média - instalação de Fred Forest: remplir, à distance, un réservoir por telefone, na exposição Machines à Communiquer, Cité des Sciences e de l'Industrie, Paris; em abril de 1992: no prédio da "Molle Antonelliana" -Turim, Itália.
• Em novembro de 1991, os primeiros intercâmbios do projeto de ação interativa por modem: Réaction en Chaîne, de Gilbertto Prado, membro do grupo Art-Réseaux, no contexto da exposição Machines à Communiquer - l'Atelier des Réseaux, à la Cité des Sciences e de l'Industrie, em Paris.
• Nos dias 9 e 10 de novembro de 1991, a instalação fax Le Dériveur por Jean-Claude Anglade, Patrick Dupuis e Gérard Pelé, no evento Parade Sauvage pour Arthur Rimbaud, no Grande Halle de La Villette em Paris.
• De setembro a dezembro de 1991, por ocasião da XXI Bienal de São Paulo, Artur Matuck concebeu e coordenou o projeto Reflux. Ele propôs ligações telemáticas entre vários nós e convidava os participantes a interagir também com seus projetos - os influxs. Entre outros, podemos citar: * Langterra - Dymaximal Terristory, de Artur Matuck e Robert Rogers - The Studio for Creative Inquiry à Pittsburgh; *Image locale, image globale de Karen O'Rourke, Art-Réseaux, Paris; *Traces de Gilbertto Prado, Art-Réseaux, Paris; * Clothfax, une performance fax de Otavio Donasci, São Paulo; * Hydra, de Vernon Reed, Sausalito, California; * Geography of the Intimate projeto de Brian Andreas, Berkeley, California; *Communications Across Borders, por Anna Couey -Art Com, San Francisco, California; * wrap, unwrap, proposto por «Varia qu'a d'ça» (Pierre Granoux, Sarah Vaughan e Anne Vidal), em Aix en Provence, França .
• Em dezembro de 1991, os projetos de intercâmbio de imagens fax provenientes de Gwent, Inglaterra: Where is a human being? por Richard Stock e *New Docs por Robert Emery e Rupert Murrel.


1992

• Em 7 de abril de 1992, o projeto fax Patchwork de Isabelle Millet, durante a vernissage do grupo Art-Réseaux na Galerie Bernanos, em Paris.
• Em abril de 1992, o projeto fax How do you imagine the city of Compiègne?, de Daniel Daligand, no contexto da exposição Drôles d'envois, no Centre Culturel de Compiègne.
• Ainda em abril de 1992, o projeto Fax Art Response, por Lora Jost em Madison, Wisconsin, nos Estados Unidos.
• No dia 2 de maio de 1992, o Decentralized World-wide Networker Fax Congress, por John Held Jr., na Dallas Public Library, Texas.
• A instalação/fax Earth Summit fax, de Lilian A. Bell, no contexto da exposição Omame Project (Bené Fonteles & Lia do Rio), em Brasilia, em maio de 1992.
• O projeto Infest de Christophe Le François do grupo Art-Réseaux, envios e intercâmbios de imagens por fax e modem no contexto da exposição Machines à Communiquer - l'Atelier des Réseaux, Cité des Sciences et de l'Industrie, Paris.
• De maio a junho de 1992, o projeto Le banquet télématique, projeto fax de Michel Suret-Canale com Marie-Dominique Wicker do grupo Art-Réseaux, ainda no contexto da exposição Machines à Communiquer - l'Atelier des Réseaux, Cité des Sciences et de l'Industrie, em Paris. Os convivas - artistas plásticos, pesquisadores e escritores - foram convidados a participar de um dos cinco "serviços", com seus envios pessoais de natureza e proveniências diferentes, recolhidos num só local de convergência .
• De maio a setembro, a instalação Telematic Dreaming, de Paul S. Sermon, no contexto da exposição Koti, na galeria Kajaani - Finlândia. Se tratava de dois leitos de casal, fisicamente distantes, conectados por ligação vídeo. Esta instalação permitia ao artista de "estar" simultaneamente nos dois locais, com uma eventual parceira . Projeto igualmente apresentado no Ars Electronica 93, em Linz na Áustria.
• Générateur Poiétique, proposição de Olivier Auber apresentada no Atelier des réseaux, no contexto da exposição Machines à communiquer, realizado em torno de um programa informático que gerava as relações entre nove terminais do tipo Minitel e um televisor, que os reagrupava num mesmo local.
• Em junho 1992, o projeto fax: The Longing of the Electronic Media for Nature por Pietro Pellini e Yola Berbes em Colônia, na Alemanha.
• Em junho 1992, o projeto de Gilbertto Prado: Moone: La face cachée de la lune, construção de desenhos e de imagens em tela partilhada, em direto, via R.N.I.S. (Rede Numérica de Serviços Integrados), entre os Café Électronique de Paris e o da Documenta IX, em Kassel, na Alemanha.
• Em 7 de agosto, recepção de fax, durante a vernissage da exposição Filliou in Belgium, em Liège, organizado por Charles François, como parte do Decentralized wordwilde networker congress 1992.
• Em setembro de 1992, o projeto de Bernard Démiaux: Mémoire du XXe siècle, "binarização" des mensagens recebidas em Paris e enviadas para o Electronic Cafe International na Piazza Virtuale em Kassel, na Documenta IX, via R.N.I.S.
• De junho a setembro de 1992, Van Gogh TV - Piazza Virtuale, situado em Kassel durante a Documenta IX, com várias «Piazzetas» nas cidades da Europa, dos Estados Unidos e do Japão. Durante os 100 dias da exposição, as «Piazzetas» fizeram transmissões com possibilidades de intervenções por telefone, modem, fax e computador. A Van Gogh TV é um grupo do Ponton European Media Art Lab, Hamburgo (Karl Dudesek, Benjamin Heidesberger, Mike Hentz, Salvatore Vanasco e toda uma equipe de pesquisadores) . Na França, a coordenação das «Piazzetas"» foi feita na Cité des Sciences et de l'Industrie, em Paris, por Christian Vanderborght; na cidade de Poitiers por Sylvie Marchand e em Lyon por René Sanglard.
• Em julho de 1992, durante a edição da Siggraph 92, em Chicago, vários projetos foram realizados, como: *Ornitorrinco, um trabalho artístico de telepresença de Eduardo Kac; * Is Anyone There? : trabalho de Stephen Wilson baseado no telemarketing ; *Rosetta Stone espaço/imagem interativo via R.N.I.S., produzido por Judith Mayer com a participação de vários artistas; * Cafe Electronic International; * The S.L.A.D.E. corporation, um projeto interativo internacional, com a coordenação artística de Victoria Vesna e a participação de vários artistas .
• De 22 a 25 de outubro, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, o evento Proto Arte Telemática coordenado por Artur Matuck com a participação de vários artistas, entre outros, Madalena Bernardes e Otavio Donasci.
• De outubro de 1992 a fevereiro de 1993, o projeto de intercâmbio de imagens Paris/San Francisco. L'histoire d'une expérience, realizado por estudantes da Universidade de Paris I - U.F.R. d'Arts Plastiques (coordenação Karen O'Rourke) e alunos da Universidade de San Francisco - School of Creative Arts - Conceptual Design (coordenação Stephen Wilson).
• Os dias 11 e 12 de novembro de 1992, projeto fax de Marisa Gonzalez, em seu workshop «Creacion y Tecnologia» (com a participação de John Dunn, Sonia Sheridan e Jamy Sheridan) no Círculo de Bellas Artes, Madri. Intercâmbios foram feitos com os participantes em Madri, em conexão com o grupo Art-Réseaux em Paris e outros correspondentes na Espanha.
• Em 29 de dezembro de 1992, o projeto de Jean-Claude Le Parc, Europa 500 ans d'Amour e de Haine. Ligação satélite entre «Americo e Europa», intercâmbio de mensagens entre a Argentina e a França.


1993

• Em 5 de fevereiro de 1993, o projeto Piero Manzoni's infinite line, de Paolo Barrile e Ruggero Maggi, no Milan Arte Center, Itália, onde artistas de diferentes proveniências enviaram imagens de "linhas" de fax para construir uma linha infinita.
• De 15 a 20 de março, projeto/instalação fax de Marisa Gonzalez Reception-transmission no contexto da exposição Esto no es una crise, no Círculo de Bellas Artes em Madri.
• Durante os meses de março e abril, a recepção de envios fax em Hamburgo, na Alemanha, para o projeto Reactiv/reakiv, organizado pelo The International Mail Art Groupe.
• No dia 26 de março e 4 de abril, Guy Bleus realizou o projeto In quest of the eternal faxland, em Eindhoven, Holanda.
• Em maio de 1993, os estudantes da Académie Minerva, em Groningen, na Holanda, organizaram a ação Fax-you!, no contexto da IV Bienal de Maastricht.
• Entre os meses de maio e junho, na cidade de Graz na Áustria, a exposição Network Art Graz, com vários projetos de artistas como: * Ornitorrinco on the Moon, instalação de telepresença de Eduardo Kac e Ed Bennett. * Les miradors de la paix, de Fred Forest, emissão de mensagens de paz por telefone através das fronteiras, da Áustria para a ex-Iugoslávia. * Heavenly Bodies, projeto de teleconstrução (visiofone e fax) de um zodíaco do século XXI, por Roy Ascott. * Fax to Kulturdata de Doug Back. * Redefining Terrytory Throught Telecommunications, projeto de intercâmbio de textos entre artistas australianos e austríacos, por Phillip Bannigan e Sue Harris. * Telay , peça de percussão de Josef Klammer tocada por telefone entre Nova York e Sidney. * Telesculpture III, projeto de escultura telemática por Richard Kriesche e Peter Hoffmann. *The Canary Grand Band de Paul Panhuysen. * Free Phones de Janos Sugar. * ELF (Extreme Low Frequencies) de Udo Wid.
• Em junho de 1993, o projeto de pesquisa Fax Art: New possibilites for contemporary praxis, organizado pelo Museo International de Electrografia, em Cuenca, na Espanha (Kepa Landa, Ricardo Echevarria, Rebeca Padin, Jorge Liopis, Guillermo Navarro, Maria José Saez, Mercedez Romero, José Ramon Alcala).
• De julho a agosto de 1993, Montage 93 Mail Art, no Monroe Community College, com envio de fax e de imagens infográficas por modem, no contexto da exposição Montage 93: International Festival of the Image. New Arts/New Worlds Program, Rochester, USA.
• De 4 a 10 de setembro, Danube Connection - Electronic communication happening (visiofone, telefone, fax, computador, performances) entre Artpool Art Research Center em Budapeste, Hungria, e Zeronet, em Viena, Áustria.
• Em 17 de outubro, Bob Lens realiza o projeto Bureau Imaginaire - Observatorium total, na galeria Cornelius Hertz, em Bremen, Alemanha.
• No dia 24 de dezembro, no Centre Culturel Le lavoir Moderne Parisien, a manifestação-fax Je veux* tu voeux* un fax* a Léon pour Noël*, proposto por Marie-Paule Cassagne.
• De 21 de novembro de 1993 a 1° de janeiro de 1994, a exposição da artista Orlan na galeria Sandra Gering, em Nova York. Para o vernissage, a apresentação de Omniprésence: la septième opération - chirurgicale - performance d'Orlan, Transmitida em direto da galeria via satélite e via visiofone para várias cidades (Paris: Centre Georges Pompidou, Lyon: E.L.A.C., Colônia: Casino Container, Antuérpia: Muhka, Toronto: University Mac Luhan, Banff: Banff Center Media-Art, entre outras).


1994

• De 2 a 6 de março, o projeto de envio de imagens via modem e construção de sequências animadas: Paris-Réseau, de Karen O'Rourke com a participação do grupo Art-Réseaux (Christophe Le François, Isabelle Millet, Karen O'Rourke, Gilbertto Prado, Michel Suret-Canale e Marie-Dominique Wicker), por ocasião do "Deuxiemes rencontres internationales art cinéma/vidéo/ordinateur", na Videoteca de Paris .
• Em 2 e 3 de maio, o projeto de rede de comunicação utilizando fax: Em Contato, na Universidade de Caxias do Sul, RS, com a coordenação de Diana Domingues, Ana Mery S. de Carli e Fabiana de Lucena.
• Em junho, a mostra Via Fax , com a participação de dezoito artistas (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Nova York, Porto Alegre e Recife), no Museu do Telefone, Rio de Janeiro.
• De 15 de junho a 12 de agosto, Algorithmic Art Show, na Xerox Palo Alto Research Center, California, com envio de imagens infográficas.
• De 2 de junho a 27 de julho, o Electronic Cafe de Kromborg (Dinamarca), realizou uma série de workshops e esteve em conexão com outros nós dos Cafés Eletrônicos em diferentes localizações.
• De 20 a 25 de agosto, durante o 5th International Symposium on Electronic Art, participação do grupo de Campinas *.* (Artemis Moroni, José Augusto Mannis e Paulo Gomide Cohn) com o projeto The Electronic Carnival, - diálogo e construção de personagens via rede Internet.
• No dia 3 de setembro, Telage'94, intercâmbio de imagens e sons, via modem, projeto de Carlos Fadon Vicente - com coordenação geral do mesmo, em São Paulo; coordenação em Lexington de Eduardo Kac, em Recife de Irene Faiguemboin e em Campinas de Gilbertto Prado. No contexto do projeto "Arte Cidade" (módulo II: A Cidade e seus Fluxos).
• No dia 24 de setembro, Vedereditutticolori, projeto de fax de Ruggero Maggi, organizado por Emma Zanella Manara, no Il Melo Centro di Cooperazione Sociale, Italia.
• The Electronic River, projeto de intercâmbio fax, organizado por Lilian A. Bell na Renshaw Gallery e Linfield College, no Oregon, de setembro a outubro.
• De 21 de outubro a 11 de novembro, o projeto Elastic Fax 2, organizado por Eduardo Kac, no Center for Contemporary Art, Na University of Kentucky, Lexington.
• De 1 a 13 de novembro, o projeto fax Critique, no contexto do evento Construction in Process, no Sydney Centre of the Artists' Museum - Austrália, organizado por Brad Buckley.
Il n'y a pas de commentaire sur cette page. [Afficher commentaires/formulaire]